top of page
Âncora 2
Âncora 1

Mudanças climáticas são um grande desafio para os hospitais


ESG em hospitais - É conosco


A discussão sobre a sustentabilidade ganhou papel central na administração de empresas e indústrias, uma vez que a maioria dos setores produtivos gera impactos e precisa reavaliar suas estratégias ambientais.


A saúde da população e a infraestrutura hospitalar, experimentam impactos diretos com o aumento das temperaturas, eventos climáticos extremos e a degradação ambiental.


A geração em larga escala de resíduos é uma característica inerente aos serviços de saúde e uma das principais preocupações das instituições hospitalares.


ESG nos hospitais e seus impactos transformadores


A Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp) divulgou no último dia 18, a segunda edição da publicação “ESG nos hospitais Anahp: resultados e boas práticas”, documento que reúne dados da atuação de seus associados nos três âmbitos ESG, com iniciativas relacionadas à humanização da assistência, gestão de resíduos, eficiência energética, inovação e tecnologia, entre outras temáticas emergenciais.


O relatório que contém dados coletados entre 81 hospitais e 133 cases detalhados com 12,7 milhões de pessoas impactadas diretamente e mais de R$ 507 milhões investidos, mensurou o impacto positivo das ações das instituições privadas de saúde nos entornos de suas comunidades e para a sociedade como um todo.


No pilar ambiental, temos muito trabalho a ser feito quando falamos de temas como gestão de resíduos, estruturas sustentáveis e eficiência energética

Eduardo Amaro – Pres. Conselho de Adm. Anahp


É conosco se debruçou sobre o pilar AMBIENTAL do relatório, que trata da Infraestrutura, instalações sustentáveis e eficiência energética em hospitais privados e ficou bastante claro que o conceito de hospital sustentável é uma realidade possível por meio de iniciativas que se concentram em evitar impactos negativos ao meio ambiente e à comunidade.

Idealmente, o processo começa na fase de planejamento do edifício como um espaço sustentável e deve se estender a todas as operações cotidianas do hospital. O principal desafio é realizar as intervenções essenciais no ambiente hospitalar sem afetar a sua operação regular.


O relatório demonstra que a Anahp considera a questão ambiental uma prioridade para a gestão hospitalar, e inclui em seu Sistema de Indicadores Hospitalares dados como consumo de água, energia elétrica e geração de resíduos. Estes indicadores estão diretamente relacionados ao volume de atendimentos e pacientes-dia, ou seja, o consumo desses recursos tende a acompanhar a demanda do período. No entanto, existe espaço para buscar maior eficiência na utilização dos recursos e na redução dos custos.


Gerenciamento de Resíduos

Em 2021 foi desenvolvida por um Comitê de Sustentabilidade a Cartilha de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (RSS), que aborda os principais temas e procedimentos relacionados ao manejo ambientalmente adequado dos resíduos gerados nas atividades operacionais e administrativas dos estabelecimentos de saúde.


Gases de Efeito Estufa

O efeito dos gases de efeito estufa (GEE) emitidos pelo setor hospitalar ganhou protagonismo e em 2023, se tornou tema-alvo do Grupo de Estudos Práticas de Sustentabilidade. Para promover a redução das emissões de GEE no setor, diante da urgência da crise climática, foram incorporados ao sistema indicadores de emissões (Escopo 1 e 2), a fim de contribuir para o impulsionamento dessa mudança.


Responsabilidade Social

O acesso à saúde pela população, é outro desafio demonstrado pela diferença na qualidade dos serviços prestados pelos setores público e privado. Além disso, a crise provocada pela pandemia e agravada por fatores que se seguiram, reforçou a importância do cuidado com profissionais de saúde e sua saúde física e mental.


A associação vem buscando alternativas para mitigar as questões, em parceria com o Governo Federal, os governos estaduais, agências reguladoras e outros players da saúde.

A Anahp também adaptou eventos presenciais e publicações impressas para os formatos digitais e tem os disponibilizado de forma gratuita, democratizando o acesso a informações relevantes.


O relatório cita ainda alguns focos que estão presentes na maioria das estratégias de ESG do setor


Liderança: Os líderes devem inserir a preservação ambiental nos objetivos estratégicos das organizações definindo metas, implementando práticas, incentivando a inovação e pesquisa, moldando a cultura e estabelecendo indicadores.


Substâncias químicas: Substituir por alternativas mais seguras com avaliação e identificação dos riscos, pesquisa, parcerias com fornecedores e fabricantes, compartilhamento de boas práticas, treinamento e monitoramento.


Gestão de resíduos: Redução e tratamento adequado com classificação e segregação, treinamento dos colaboradores, programas de reciclagem, melhores práticas de coleta, armazenamento, tratamento e destinação, além de monitoramento especializado com relatórios detalhados.


Energia: Eficiência energética por meio de sistemas de geração de energia solar, eólica e geotérmica, além de cogeração, contratação de energia renovável e participação em programas de certificação e crédito, parcerias com empresas da área e conscientização das equipes.


Transporte: Diminuir o impacto ambiental do transporte de pacientes e profissionais com a implementação da telemedicina, frotas sustentáveis, otimização de rotas e localização estratégica dos serviços.


Alimentos: Comprar e oferecer alimentos saudáveis e cultivados de forma sustentável por meio de certificações de qualidade e procedência, parcerias com produtores locais, opções vegetarianas e veganas, minimização de desperdícios e avaliação da cadeia de fornecedores.


Edifícios: Apoiar projetos e construção de hospitais verde e sustentáveis. Obras certificadas, material sustentável, gestão de resíduos, sistemas eficientes de água e energia, espaços verdes e ambientes saudáveis, livres de toxinas.



Engajamento da comunidade: Parcerias com organizações comunitárias, participação em programas de voluntariado locais, promoção de iniciativas de educação em saúde na região, realização de eventos e outras ações relacionadas aos cuidados com a saúde.


Prevenção: Educação em saúde, campanhas de conscientização, promoção de estilos de vida saudáveis e engajamento nos programas de prevenção.



Ações sustentáveis transformam nosso mundo para melhor


Além de gerar impactos positivos para o meio ambiente e para a sociedade, as ações de sustentabilidade também trazem benefícios para as próprias empresas. A identificação de áreas estratégicas para a implementação de boas práticas, além de benefícios econômicos tangíveis, como redução de custos operacionais, geram valor para o negócio fortalecendo a reputação institucional e contribuem para um futuro mais sustentável, garantindo a saúde das gerações presentes e futuras.

 




Opmerkingen


bottom of page