top of page
Âncora 2
Âncora 1

Criando impacto positivo

Imagine criar uma empresa que trabalha para regenerar o planeta que chamamos de lar, atendendo pessoas que desejam ter um estilo de vida mais consciente através de uma economia circular, ética e sustentável.

Andrea, criador do projeto Realixo
Andrea em frente do RainbowWarrior, o primeiro navio do Greenpeace

É conosco conversou com Andrea, criador da www.realixo.com.br italiano de Roma, que desde a faculdade sabia que não queria trabalhar em grandes empresas pensando apenas no resultado financeiro. Andrea fez um master em Economia para Desenvolvimento Sustentável e passou um ano na Toscana trabalhando como agricultor em uma fazenda pela curiosidade de saber como seria a vida de um pequeno agricultor, não só teoricamente, mas colocando a “mão na massa”.


Buscando produzir um impacto mais positivo no mundo, foi trabalhar, por seis anos, no Greenpeace na área de comunicação e considera que lá foi sua grande escola sobre as questões do meio ambiente. Ter acesso a estratégia Greenpeace para fomentar a mudança de comportamento entre empresas, governos e pessoas fez muita diferença em sua caminhada.


Aprendendo com os erros e aperfeiçoando os acertos


Acreditando que o empreendedorismo e a criatividade estão na sua vida desde sempre, fundou duas startups que fracassaram sem grandes prejuízos, mas com imenso aprendizados.

Passou pela publicidade (vídeos e fotos) na Itália e Inglaterra chegando a produzir um documentário bem-sucedido em festivais como o Sundance.


Em 2018, em visita ao México, ficou chocado com a questão do lixo e começou a estudar o setor visando soluções para o mercado. Em 2020 chegou ao Brasil pela primeira vez e continuou seu estudo sobre resíduos e através de entrevistas identificou as carências do mercado e do poder público nas questões da coleta seletiva de recicláveis e orgânicos.


Percebeu que muitas pessoas se preocupavam com o meio ambiente mas não conseguiam gerenciar corretamente o descarte de resíduos sem muito esforço. A falta de integração dos serviços de coleta ainda obriga as pessoas a terem que se dirigir a pontos de descarte distantes para produtos específicos como óleo de cozinha, roupas, eletrônicos, lâmpadas e baterias.


Para orgânicos, poucas cidades têm coleta seletiva


Seguindo seu faro, descobriu que as pessoas estariam dispostas a pagar pelo serviço através de assinatura mensal e para validar sua tese, fez uma land page do serviço para avaliar o volume de clientes. Com o resultado promoveu um fundraising e em maio de 2022 iniciou as operações atendendo pessoas físicas e jurídicas.


Hoje a Realixo realiza quatro operações que contribuem para um estilo de vida mais consciente:


· Coleta Seletiva para Residências, que coleta os resíduos recicláveis e orgânicos na sua casa, garantindo a destinação correta;


· Coleta Seletiva para Empresas, incluindo restaurantes, bares, hotéis e condomínios de acordo com a necessidade de cada cliente;


· Logística Reversa, realizada em parceria com outras empresas onde gerencia os resíduos, assegurando a prática de política de logística reversa;


· Evento Lixo Zero, que realiza a gestão de resíduos de eventos de maneira correta e eficiente.


Andrea explicou a complexidade que existe no processo de coleta seletiva e reciclagem, a começar por saber onde o catador que vemos nas ruas entrega os resíduos coletados, que poderá ser numa cooperativa ou numa sucata. Algumas cooperativas têm restrições a determinados produtos como isopor, que pesa pouco, tem baixo valor, mas gera um volume grande no transporte. O vidro é outro problema, por ter um peso alto e um valor baixo, é desprezado por boa parte dos catadores.


Sonhando alto e fazendo sua parte


Sem medo de parecer pretencioso, Andrea conta que a Missão da empresa é “criar um mundo sem lixo por meio de uma economia circular, ética e sustentável”.


Segundo o empreendedor, estima-se que cada brasileiro gere 1 kg de resíduo por dia e, infelizmente, menos de 4% do resíduo seco é reciclado no Brasil. Além disso, 99% dos resíduos orgânicos é encaminhado diretamente a aterros sanitários, incineradores ou lixões, gerando gás poluente que é emitido na atmosfera.

Leia o post 'Você se identificada com o consumismo' para entender quantos kilos de lixo produzimos ao dia e como podemos repensar esse processo.


Como cidadão, Andrea tenta fazer sua parte consumindo em pequenos mercados locais e adepto da comida orgânica. Acredita na importância da diversidade de alimentos que cada região tem e que acabam sendo desprezadas pela grandes cadeias de supermercados e restaurantes.





 
ODS 11 - Cidades e Comunidades Sustentáveis




Komentarai


bottom of page