• É conosco

RESOLUÇÃO DE ANO NOVO


Mundo sustentável - Portal É conosco

O Ano Novo é um bom momento para definirmos novas metas e intenções para os próximos 12 meses.


Muito tem se falado na importância de sermos mais sustentáveis e das dificuldades que temos em alcançar a tal “sustentabilidade”.


E este assunto ganhou tanta relevância que muitas empresas já acordaram para o fato de que para sobreviverem não será possível separar a lucratividade da sustentabilidade. Será necessário adotar um processo que envolva três frentes: as Pessoas, o Planeta e o Lucro. Os “3 P’s” da Sustentabilidade em inglês – People, Planet and Profit.


Mas tudo começa por nós, indivíduos que adquirindo consciência, mudamos nossos hábitos e nosso modo de viver, em uma sociedade que tem sido pautada pelo consumo com foco no “ter” e não no “ser”.

Acreditamos que qualquer pessoa seja capaz de transformar a si e seu entorno e o jeito mais fácil de entender ou vivenciar o conceito, é buscando a nossa conexão com a natureza.


Considerando que você tem suas necessidades básicas atendidas e busca maior sustentabilidade em sua vida, talvez você tenha que começar a avaliar melhor suas escolhas e estabelecer algumas metas para realizar suas intenções.


De acordo com a psicóloga e pesquisadora Phillipa Lally, da University College of London, uma pessoa pode levar de 18 a 254 dias para mudar um hábito conforme um estudo publicado no European Journal of Social Psychology.


Lembrando que uma grande jornada começa com o primeiro passo, você pode escolher apenas uma pequena mudança de comportamento que atrelada a um prazo seja uma meta que você consiga cumprir.


Não importa se o que te preocupa são as mudanças climáticas, a poluição do ar ou dos mares. Tudo está interconectado e ligado a nossas atitudes individuais e comportamento coletivo.

Nossos hábitos alimentares sofrem grande influência da indústria alimentícia que nos oferece delícias, praticidade e até status através da publicidade ou do fácil acesso.


Mas você já parou para pensar no que tem dentro daquela atraente embalagem com imagem apetitosa? Por que a informação do valor nutricional ou dos ingredientes ficam em letras tão pequenininhas?


E a quantidade de aromatizantes ou sabores artificiais que ingerimos para que tenhamos a ilusão de que aquelas partículas ultra processadas com baixo valor nutricional sejam alimentos?


Segundo o relatório “Estatísticas da Saúde Mundial de 2021”, divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), no Brasil, mais de um quinto (22%) da população adulta está obesa e entre os que têm de 5 a 19 anos, o índice é de 10,8% e a hipertensão e o colesterol alto são algumas das consequências de más escolhas, sem falar da produção de lixo que as embalagens, sacolas plásticas e isopor geram.


Escolha comida de verdade.


Claro que em determinados momentos, precisamos de algo rápido e fácil de preparar, mas isso não deve ser exceção e não a regra da sua dieta alimentar.

Comida de verdade é aquela que “sua avó” preparava com feijão, arroz, batata, verduras e legumes, vindos diretamente da natureza. São alimentos integrais e naturais e não industrializados e embalados ou enlatados.


E essa escolha, ainda beneficia o pequeno agricultor familiar, o feirante ou o pequeno comerciante.


O AR QUE RESPIRAMOS


Relatório da OMS, publicado em 2018 aponta que nove em cada dez pessoas respiram ar contaminado no mundo e estima que sete milhões de pessoas morram anualmente em decorrência da má qualidade do ar. Só no Brasil o estudo estima 50 mil mortes por ano.


Estamos emitindo gases de efeito estufa (GEE) desde o início na Revolução Industrial, quando a humanidade passou a utilizar mais intensamente os combustíveis fósseis.


No mundo, a principal fonte de geração de energia elétrica ainda é o carvão.


Além de combater o desmatamento e as queimadas, a solução passa pela adoção de tecnologias que possam minimizar as emissões de GEE com o desenvolvimento de energia limpa, renovável e acessível.


Escolha poluir menos o ar que você respira.


Se você optar por usar (sempre que possível) transporte público ou caminhar, vai contribuir com 45 vezes menos emissões de dióxido de carbono na atmosfera (gás que contribui para o aquecimento do planeta) e 30 vezes menos de monóxido de carbono (gás tóxico e poluente).


A ÁGUA QUE BEBEMOS


Estudos mostram que podemos ficar até 50 dias sem nos alimentar e ainda assim, sobreviver. Porém, não é possível ficar mais de quatro dias sem o consumo de água.


A água cobre mais de 3/4 do planeta, mas cerca de 97,3% está nos oceanos (água salgada), sendo imprópria para uso.


No Brasil, temos 13% da água doce disponível no mundo, com a maior parte dela na bacia amazônica (73%). O problema é que os lençóis freáticos, os lagos, os rios, os mares e os oceanos são o destino de todo e qualquer poluente solúvel em água que tenha seja lançado no ar ou no solo.


Escolha ter água limpa.


Cuidar da sua relação com a água em todos os momentos de contato, não poluindo ou desperdiçando e ainda, exigindo do poder público que cuide de nossos rios e represas de maneira adequada é uma resolução importante que você pode tomar, agora.


SOMOS O QUE CONSUMIMOS


Ser um consumidor consciente é contribuir para a sustentabilidade e o futuro das próximas gerações diminuindo os impactos negativos causados pelo consumo exagerado, desnecessário e inconsciente.


Algumas dicas de consumo consciente que podem se transformar em novos hábitos:


Escolha consumir com foco no “ser” e não no “ter”


  • Não compre por impulso. Antes de qualquer compra, avalie sua real necessidade.

  • Não compre algo só porque é “novo”. Considere sempre comprar produtos que tenham vida útil de longa duração;

  • Procure comprar de marcas e empresas que são transparentes em seus processos produtivos e que investem em tecnologias para diminuir impactos ambientais, como emissão de GEEs e uso de recursos hídricos;

  • Prefira produtos com opção de recarga (refill) que economizam dinheiro e diminuem a produção de embalagens nocivas para o ambiente;

  • Use ecobags para suas compras e rejeite sempre que possível sacolas de plástico não recicláveis.


Se você está buscando uma causa para chamar de sua, conheça os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 (ONU).

São 17 motivos para você se inspirar, refletir e... agir!

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS - Portal É conosco

 

FONTES:

WRI BRASIL - Qual o impacto da poluição do ar na saúde? https://wribrasil.org.br/pt/blog/2018/07/qual-o-impacto-da-poluicao-do-ar-na-saude?utm_source=google&utm_medium=cpc&utm_campaign=clima&gclid=CjwKCAiA5t-OBhByEiwAhR-hm5xT2pKjbzCLGtJ_INxjsKMbQLiJny07zd3rE3Z0AFCDoBxfuWlvhBoCFBQQAvD_BwE

e-cycle - Poluição da água: tipos, causas e consequências: https://www.ecycle.com.br/poluicao-da-agua/

European Journal of Social Psychology: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/ejsp.674