top of page
Âncora 2
Âncora 1

Revolução nas rodas: eletrificação, soluções de mobilidade e ESG


Carro elétrico - É conosco

O Parque Ibirapuera recebeu, pelo segundo ano consecutivo, um grande seminário de eletrificação e soluções de mobilidade, reunindo a indústria automotiva, poder público, empresas e consumidores para discutir o ecossistema e o futuro da mobilidade no Brasil dentro da estratégia ESG.


Descarbonizar o planeta requer a adoção de fontes de energia mais limpas


Incluindo uma série de palestras e painéis de discussão com a presença de especialistas renomados no campo da mobilidade sustentável e ESG, o Renault E-Tech 100% electric days, ressaltou a relevância do debate para a descarbonização global e a importância das inovações tecnológicas na mobilidade.


Desafio da eletrificação nas cidades e a descarbonização como estratégia de negócio


É conosco esteve no evento e acompanhou dois painéis que se destacaram ao abordar como evolui o mercado de veículos elétricos e a redução das emissões de carbono no setor.


No primeiro, “Desafio da eletrificação nas cidades”, Caio Ramos (Sustainability - SAZ Ambev) tratou das iniciativas, desafios, logística e otimização de frotas de distribuição de produtos, o que não é pouco para uma empresa que tem a ambição global de impulsionar a descarbonização e construir resiliência climática com a estratégia “Do Campo ao Copo”.


O preço do “status verde”


Eloir Pagnan (WEG Electric Mobility), falou sobre uma preocupação de quem quer ter um carro elétrico, que é a questão da recarga da bateria que possibilita autonomia. Já funciona bem quando o ponto de recarga é na casa ou empresa do usuário, mas precisa de grandes investimentos para ampliar cobertura para disponibilidade em locais públicos, o que ainda direciona o uso para população urbana de alta renda (custo do veículo mais instalação de ponto de recarga).


Neste sentido, Rafael Rebelo (Soluções de energia e renováveis - Raizen) falou sobre o trabalho de ampliação na infraestrutura de recarga na Região Sul do país, com a instalação de mais 14 estações de carregamento ainda este ano e a parceria com uma rede de supermercados para disponibilizar o serviço, permitindo que se conecte Criciúma a Curitiba com uma rede de recarga rápida para os consumidores.

Recarga de carro elétrico - É conosco

Um carro elétrico com bateria de 24 kWh, com uma potência de carregamento de 3,7 kW, leva aproximadamente 7 horas para recarregar. O mesmo carro, utilizando um carregador de 11 kW, leva menos de 3 horas para ter a bateria cheia.


A recarrega de endergia em casa pode ser feita em uma tomada doméstica ou instalando uma caixa wallbox.


Estima-se que a vida útil de uma bateria possa ser de 8 a 10 anos, algo como 160 mil a 200 mil quilômetros.


Um carro movido à combustão pode gastar de quatro a seis vezes mais no abastecimento se comparado ao gasto de um carro elétrico, e os baixos custos com manutenção também são um grande atrativo para quem está buscando uma nova forma de mobilidade mais sustentável.


Explorando as rotas da popularização da matriz


Taxí carro elétrico - É conosco

Ricardo Mendes (Mobilize Beyond Automotive), falou das diversas iniciativas como a parceria que fizeram com a ABDI para a utilização de veículos elétricos como taxi na cidade de Curitiba ampliando a discussão sobre a matriz elétrica, como fonte energética para a mobilidade urbana.

A Mobilize gerencia serviços de mobilidade, energia e dados, criada em torno de ecossistemas abertos, fornecendo soluções de mobilidade flexíveis, promovendo uma transição energética sustentável, em linha com o objetivo do Renault Group de atingir a neutralidade de carbono e sua ambição de desenvolver o valor da economia circular.


Na vanguarda em mobilidade elétrica


Renault E-Tech 100% eletric - É conosco

Já no painel "A descarbonização como estratégia de negócio", Ricardo Gondo (Presidente da Renault do Brasil), falou do pioneirismo da montadora em mobilidade elétrica, com mais de 10 anos de experiência na concepção, desenvolvimento, fabricação e comercialização de mais de 450 mil veículos 100% elétricos que circulam pelo mundo.


No evento foi lançado o primeiro SUV elétrico da Renault no Brasil, o Megane E-Tech, dentro do plano de eletrificação da empresa.


Sobre a pauta ESG, Ricardo explicou a iniciativa que desde 2016 transformou em “Aterro Zero” o Complexo Industrial Ayrton Senna, onde cerca de 70 toneladas de lixo são reciclados ou reutilizados anualmente.


No stand ESG, foi possível conhecer iniciativas de inclusão e segurança, desenvolvidas pelo Instituto Renault com exposição e comercialização dos produtos da Associação Borda Viva, negócio social que já reaproveitou mais de 12 toneladas de material automotivo desde 2015, como as bolsas confeccionadas com partes de cintos de segurança.


Colocando as cartas na mesa


Com relação a mobilidade urbana, Gaston Diaz Perez (Presidente e CEO Bosch Latin America) abriu as possibilidades de descarbonização ao afirmar que muitos países têm apenas uma carta e só podem apostar nela, ao passo que por aqui, temos um baralho completo, citando o etanol, motor flex, biodiesel e a energia elétrica gerada a partir de fontes limpas, entre outras. Só precisamos definir como vamos jogar nossas cartas. “Não há soluções excludentes e é nesse cenário que devemos trabalhar”, concluiu.


Masao Ukon (Boston Consulting Group's) falou das pesquisas que sua empresa tem desenvolvido no tema, com parte delas disponíveis no site “bcg.com”. Citamos aqui alguns insights extraídos da pesquisa “Um plano para a transição energética”:

A sociedade deve acelerar enormemente a substituição e a redução do uso de combustíveis fósseis

Os combustíveis fósseis representam 80% do consumo de energia e 70% a 75% das emissões de Gases de Efeito Estufa a nível mundial.


As energias renováveis devem aumentar de 12% do fornecimento de energia em 2021 para 50% a 70% até 2050.

Temos as alavancas tecnológicas para nos levar a um sistema de energia NetZero

Até 2030, tecnologias comprovadas, como eficiência energética, a eletrificação das utilizações finais, a energia solar voltaica e a energia eólica, serão os pilares da transição.

O petróleo e o gás devem ser eliminados rapidamente, mas ainda serão necessários investimentos seletivos

A transição energética é fundamental para preservar um planeta habitável. Irá também impulsionar grandes mudanças economicas, alterando a economia dos sistemas e mercados energéticos e refazendo o cenário competitivo global.


Praticando o discurso


Todas as atividades geradas pelas ativações da marca no Renault E-Tech 100% electric days, terão neutralização de carbono de por meio do plantio de mil mudas de árvores em Reserva de Mata Atlântica com certificação e zero emissões líquidas de carbono relacionadas à energia elétrica, por meio do registro de créditos de carbono, contribuindo para a mitigação do efeito estufa na atmosfera. O Instituto Renault, já impactou mais de 865 mil pessoas ao longo dos seus 12 anos nos eixos de Inclusão e Segurança.

 
ODS 7 - É conosco





תגובות


bottom of page